• White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon
Ministério Internacional da Restauração em Porto Velho/RO.

Av. Elias Gorayeb, 1493, Bairro N. S. das Graças | CEP.: 76.804-144

secretaria@mir12ro.com | (69) 3229-9009 | 9 9914-2093

 

Departamento de Comunicação

midia@mir12ro.com | (69) 9 9381-3750

© Copyright 2019 | Ministério Internacional da Restauração em Porto Velho / RO. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Departamento de Comunicação MIR.

04/10/16  13h40

Tabernáculos 2016 - Todas as Famílias da Terra

Por: Dr. Jürgen Bühler - diretor executivo da ICEJ

Tradução e adaptação: Maílson Lima Silva

Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. (Gênesis 12:1-3)

Quando Deus chamou a Abraão, atribuiu a tarefa mais ousada: impactar todas as famílias da terra; toda tribo, etnia e comunidade no nosso planeta - todos! Isso é tão inclusivo quanto se parece! Pouquíssimas pessoas aceitariam tamanha missão.

MUNDO DE ABRAÃO

De acordo com relatos bíblicos, Abraão nasceu por volta de 2000 anos depois de Adão, o primeiro homem, foi criado, e era a décima geração depois do dilúvio nos tempos de Noé. Por esse tempo, as famílias da terra estavam em crise. Gênesis 10 relata que Noé e seus três filhos, Sem, Cã e Jafé, juntamente com suas esposas, eram os únicos sobreviventes do dilúvio. Depois de sairem da arca, reestabeleceram suas famílias na terra e com isso, repopularam o novo mundo. (Gênesis 10:32).

 

De acordo com a Escritura, Noé e Sem estavam vivos quando Abraão nasceu. Noé morreu quando Abraão tinha 58 anos de idade (Gênesis 9:28) e Sem viveu mais que ele (Gênesis 11:11). Abraão, sendo filho mais velho de seu pai, era o principal patriarca do clã semita. Talvez ele tenha ouvido pessoalmente as histórias a respeito de seu tatata... taravô Sem, talvez até mesmo de Noé; histórias de rebelião da humanidade contra Deus e o devastador dilúvio ocorrido há 300 anos antes de nascer.

PARAÍSO PERDIDO

Noé e Sem foram testemunhas vivas do mundo pré-diluviano. Antes do julgamento de Deus, pessoas viviam por muito tempo (quase 1000 anos). Os primeiros humanos, Adão e Eva, tinha contato pessoal e frequente com Seu Criador - um privilégio que foi perdido no momento em que Abraão nasceu. Era um mundo perfeito: um riacho de águas cristalinas fluia a partir do jardim chamado Éden, e no meio dele havia duas árvores misteriosas, a Árvore da Vida e a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal. Homem e mulher não eram autorizados a comer do fruto dessas árvores particulares, mas de todos os frutos de outras árvores eles podiam comer à vontade.

Este mundo perfeito mudou quando a força maligna entrou no jardim. Satanás enganou a mulher e tanto ela quanto seu marido decidiram comer do fruto da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal. Como consequência de sua desobediência, seu contato direto com Deus foi perdido, e Adão e Eva foram exilados pra sempre do Éden. Uma sombra negra veio sobre a terra. Tudo foi impactado e a influencia destrutiva de Satanás foi profundamente sentida pela primeira família da terra.

Adão e Eva posteriormente tornaram-se a primeira família disfuncional quando seu filho mais velho Caim, assassinou seu irmão mais velho, Abel. Não muito mais tarde os 'filhos de Deus' (anjos caídos) deixaram sua morada celestial e estabeleceram famílias pervertidas com as 'filhas do homem', produzindo uma nova forma de super humanos, que a bíblia chama de 'gigantes' do mundo antigo (Gênesis 6:4). Sem um relacionamento direto com o Deus Criador, a humanidade foi empurrada profundamente para estilos de vida destrutivos. Deus lamentou ter criado a humanidade e desejou destruí-la (Gênesis 6:7). Contudo, Deus contemplou Noé, um homem reto que 'andava com Deus', e juntamente com sua família, encontrou graça aos olhos de Deus eforam poupados.

Não obstante, Abraão sabia que até mesmo os descendentes das três tribos sobreviventes não aprenderam com suas próprias histórias, sendo assim logo construiram a Torre de Babel. Uma tradição judaica ainda afirma que Abraão contemplou pessoalmente como seus compatriotas desejavam estabelecer suas independências de Deus e buscavam estabelecer um novo Éden na terra. Em suas ambições pessoais, tentaram reconstruir seu próprio império, por isso Deus espalhou as famílias pela terra. Devido essa brecha na comunicação, algumas das famílias ancestrais de Abraão perderam contato com suas tribos. Essa interferência divina formou as línguas/linguagens do mundo.

ESPERANÇA PARA UM MUNDO IMPOSSÍVEL

Quando a história de Abraão começa, as famílias da terra viviam sem esperança para o futuro. Abraão sabia que pertencia a uma linhagem de famílias sem fé e falidas que haviam perdido o contato com Deus e viviam em um estado de rebelião contra Ele. Tudo mudou quando Deus interveio na vida de Abraão. Deus decidiu estabelecer uma nova tribo familiar com Abraão. Escolheu uma terra pra que vivessem e os protegeu de uma maneira especial. 'Abençoarei os que te abençoarem', disse Deus. 'Amaldiçoarei os que te amaldiçoarem.' Então veio a grande declaração da missão: 'Abraão, em ti serão benditas todas as famílias da terra'.

De todas as perspectivas, esta foi uma virada radical na história da humanidade. Apóstolo Paulo considerou ser a primeira proclamação do Evangelho de Jesus Cristo: "Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti" (Gálatas 3:8). Quando Deus chamou Abraão, estabeleceu uma conexão eterna com o povo judeu. Os principais beneficiários deste chamado, contudo, não fram os judeus. Pelo contrário, este chamado veio à custa da inimizade e perseguição dos judeus ao longo da história. O principal foco da benção era todas as famílias da terra'. Abraão e seus descendentes tornaram-se ferramente de Deus para trazer de volta Sua luz no mundo, que havia se tornado progressivamente trevoso.

Desde o princípio, Israel era um canal de redenção para toda a humanidade e uma luz para as nações. Ao invés de outro dilúvio que poderia cobrir a terra com julgamento, Deus projetou um dilúvio de redenção de tal maneira que o 'conhecimento da glória do Senhor' pudesse cobrir a terra como as águas (Isaías 6). O ex-diretor executivo da ICEJ, reverendo Malcolm Hedding faz uma excelente colocação em seu livro, 'The Great Covenants of the Bible' (As Grandes Alianças da Bíblia - tradução livre): "A aliança abraâmica é a aliança da decisão de Deus para salvar o mundo e, como tal, é a mais fundamental de todas as alianças".

Esta aliança movimenta um processo que dura até hoje. Através dos descendentes de Abraão recebemos a Bíblia (Romanos 3:1) bem como a maior bênção de todas: o único filho de Deus, o Redentor, que foi morto pelos pecados do mundo. Por essa razão, Mateus começa seu relato do Evangelho com "Livro da genealogia de Jesus Cristo... filho de Abraão" (Mateus 1:1). A terra prometida a Abraão, e Jerusalém em particular, se tornou o centro onde todas as bênçãos da aliança de Abraão foram desencadeadas. Neste lugar nosso Salvador Jesus Cristo foi crucificado, ressuscitado e subiu aos céus. Neste lugar Ele derramou seu Santo Espírito. De Jerusalém Ele enviou Seus discípulos para abençoar todas as famílias da terra. E, para Jerusalém, Cristo um dia retornará.

O desenrolar final do chamado de Abraão é trazer a humanidade caída de volta à presença de Deus, dando-lhes acesso ao paraíso. Como Adão, um dia viveremos em uma cidade-jardim chamada Jerusalém. Como no Éden, uma corrente fluirá para fora da cidade, com a Árvore da Vida no centro. O fruto das árvores curará as nações e as famílias da terra, e o próprio Deus estará constantemente presente. (Apocalipse 22). Curiosamente, foi exatamente essa a visão da Jerusalém celeste, que manteve ABraão indo e servido como fonte constante de força: "Porque [Abraão] esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus" (Hebreus 11:10).

 

A perspectiva de Abraão a respeito do seu chamado foi incrivelmente ampla. Embora be ciente de como o paraíso foi perdido pelas famílias da terra, ele teve uma visão dessas famílias sendo restauradas, assim como João viu cerca de 2000 anos mais tarde: "Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; e clamavam com grande voz, dizendo: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro" (Apocalipse 7:9,10)

ANTECIPAÇÃO DOS CÉUS

Este grande chamado para "todas as famílias da terra" afeta o destino de todos. Você e sua família são candidatos perfeitos para as bênçãos de Deus, independente do seu passado! O preço para retornar a Deus foi pago pelo grande Filho de Abraão, Jesus Crist. Aceite-o pela fé.

"Todas as famílias da terra" é também um eterno memorial de que foram os descendentes físicos de Abraão, o povo de Israel, que inauguraram estas bênçãos para nós. Eles foram perseguidos e odiados como nenhuma outra nação. Assim, Paulo nos chama de devedores dos judeus e nos instrui a abençoá-los em troca.

A Festa dos Tabernáculos em Jerusalém serve como um incrível sinal da nossa redenção presente e futura, e o tema deste ano, "Todas as Famílias da Terra", é um lembrete oportuno das bênçãos de Abraão para nós. O profeta Zacarias disse que "todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, e para celebrarem a festa dos tabernáculos" (Zacarias 14:16). Eu não posso contar quantas vezes peregrinos presentes na Festa dos Tabernáculos já me disseram: "É como se fosse um gostinho do Paraíso!" Vir a Jerusalém é como voltar para casa. Jerusalém nos conecta como nenhum lugar na terra, tanto com a nossa história e, mais importante, com nosso futuro.

Seja abençoado com as bênçãos de Abraão e estou ansioso para recebê-lo para a Festa dos Tabernáculos, onde "todas as famílias da terra" são convidadas para celebrar seu Criador em Jerusalém.