• White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon
Ministério Internacional da Restauração em Porto Velho/RO.

Av. Elias Gorayeb, 1493, Bairro N. S. das Graças | CEP.: 76.804-144

secretaria@mir12ro.com | (69) 3229-9009 | 9 9914-2093

 

Departamento de Comunicação

midia@mir12ro.com | (69) 9 9381-3750

© Copyright 2019 | Ministério Internacional da Restauração em Porto Velho / RO. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Departamento de Comunicação MIR.

18.07.2016

 

Ao pensar em reforma, devemos raciocinar do que se trata o assunto, compreender este conceito firma a responsabilidade de fazer bem feito o que for preciso para reformar. A etimologia da palavra nos revela a essência de sua expressividade.

Re “de novo” +  Formare, de forma, “aspecto, aparência, forma” = nova forma.

Aprofundando o conceito, entende-se que reforma é fazer de nova forma! É fazer de novo outra vez! É mudar! É sair de um estado em direção a outro melhor. A reforma é um processo contínuo e gradativo, demanda tempo e interesse. Entrar na rota da reforma é achar mudança PRIMEIRO para si. Posteriormente para o seu exterior.

Ter uma vida reformada inclui alguns desgastes e disposições, afinal, fazer reforma nunca foi e nunca será fácil. Reformar uma estrutura civil ainda é mais fácil do que reformar o interior! O coração do homem é o lugar mais desafiador para se reformar.

Se o  homem interior não for reformado, nada em sua volta será reformado. O ambiente ao qual frequentamos exala o que somos e denuncia o que carregamos no caráter. Mudanças externas não são legítimas se primeiro o caráter não for mexido.

“De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios, diz o Senhor? Já estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; nem me agrado de sangue de bezerros, nem de cordeiros, nem de bodes. Quando vindes para comparecer perante mim, quem requereu isto de vossas mãos, que viésseis a pisar os meus átrios? Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os sábados, e a convocação das assembléias; não posso suportar iniqüidade, nem mesmo a reunião solene. As vossas luas novas, e as vossas solenidades, a minha alma as odeia; já me são pesadas; já estou cansado de as sofrer. Por isso, quando estendeis as vossas mãos, escondo de vós os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei, porque as vossas mãos estão cheias de sangue. Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer mal. Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas. Vinde então, e argüi-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã. Se quiserdes, e obedecerdes, comereis o bem desta terra.” (Isaías 1:11-19)

O povo estava realizando, cuidadosamente, os sacrifícios e as ofertas tradicionais por ocasião das santas celebrações. E esses sacrifícios tinham a finalidade de ser o sinal exterior de sua fé, mas  esse sinal tornara-se desprovido de qualquer sentido, porque a fé já não existia. O povo, em seus corações continuavam a praticar o erro e estavam distantes da palavra de Deus.

Embora não se arrependessem de seus pecados, os hebreus continuavam a oferecer sacrifícios para alcançar o perdão. Ofertas e sacrifícios nada significam para Deus, se vêm de corações que abrigam a corrupção. Deus não se agrada de manifestações exteriores, se a intenção do coração for desacompanhada do desejo de gerar relacionamento com o Pai. Deus deseja que o amemos, confiemos nEle e nos afastemos do pecado. Somente assim, Ele ficará satisfeito com os nossos “sacrifícios” de tempo, dinheiro ou serviço.

Fica evidente que a reforma começa em mim. O comando é “Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer mal.”

 

  • Limpeza: remover a sujeira.

  • Purificação: tornar puro, sem mistura e sem adição de nada.

  •  Tirar a maldade: tocar no caráter (interior)

  •  Cessar de fazer o mal: mudança de atitude. (Exterior)

Ninguém pode limpar e purificar por você. És responsável por isso! Somente você sabe onde está a sujeira. É você que diagnostica o que está impuro. Cabe a você refletir como anda as ambientes da sua alma, certamente no processo de desenvolver a salvação (Filipenses 2:12) você detectará algo a ser mudado, a ser reformado e ESSA É A REFORMA QUE NINGUÉM PODE FAZER POR VOCÊ.

A reforma não é uma proposta humana, mas divina para a limpeza do interior e purificação do caráter. É impossível fazer reforma sem mudar o caráter, seria igual ao tentar fazer fogo sem a faísca. A faísca da minha decisão por MUDANÇA precisa acender um caráter novo que reflete o efeito da cruz  sobre mim. Porque a cruz de Cristo é o sinal da reforma e  ressureição é a consolidação da reforma. Diante disso, eu passo para um nível de vida diferenciada entregue  por Jesus “...Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” João 10:10b, onde  só restaurados, conectados ao Pai, pelo sangue do cordeiro, podem alcançar essa nova vida. Estes estão aptos para fazer reforma.

Esse é o entendimento profético da reforma: fazer mudança! Primeiro a interior! Toda reforma inclui vencer guerras na mente, destruir achismos e desarticular dardos do adversário que adoecem nossos pensamentos.  Toda mente reformada é uma mente que abraça a palavra de Deus. Portanto, a reforma acontece pela palavra.  É necessário retornar à luz da Bíblia, quando dela nos afastamos.

“Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da sua mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:2)

Renovar por si só já é bom, todos gostam do novo, ainda que demorem a adaptar-se a ele. A renovação é o ato de se modificar para melhor. Agora, já imaginou renovar a mente?! Isso é a construção da mente de Cristo em nós, é nosso caráter sendo sarado, é acessar a vontade de Deus, porém este é um privilégio só para reformados!

“Diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” (Isaías 1:18)

Para esta promessa acontecer, nós como nascidos de novo, precisamos confrontar nossos pecados, porque a domesticação de pecados fecha as portas para a reforma. Infelizmente a vida espiritual de alguns têm sido uma estagnação, sempre em estado pecaminoso, sempre distantes do que a palavra orienta.

Não podemos permitir que a nossa vida espiritual siga um ciclo vicioso constituído de uma queda e posteriormente uma subida e logo depois seguindo de uma outra queda e assim por diante. Não existe nenhum progresso verdadeiro, parece que o máximo que conseguimos é viver oscilando, as pessoas já se acostumam. Tudo isso porque pecados foram domesticados e não confrontados.

Contudo, a palavra nos afirma: “Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas. Eis que farei uma coisa nova, e, agora, sairá à luz; porventura, não a sabereis? Eis que porei um caminho no deserto e rios, no ermo.” (Isaías 43:18-19)

Há um dia para a sua mudança e esse dia chama-se hoje! Você irá além do que imagina! Seremos a reforma que ama, abraça, cura e liberta! És chamado a construir de novo e para fazer diferente.

 

Ingrid Evellen Franco Lima

Aspirante a reformista

COLUNISTAS | INGRID EVELLEN

A reforma que ninguém pode fazer por mim