• White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon
Ministério Internacional da Restauração em Porto Velho/RO.

Av. Elias Gorayeb, 1493, Bairro N. S. das Graças | CEP.: 76.804-144

secretaria@mir12ro.com | (69) 3229-9009 | 9 9914-2093

 

Departamento de Comunicação

midia@mir12ro.com | (69) 9 9381-3750

© Copyright 2019 | Ministério Internacional da Restauração em Porto Velho / RO. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Departamento de Comunicação MIR.

03.12.2018  20h

Estamos em Hanukah, a Festa das Luzes

Entenda o significado da festa e confira a nossa programação.

Por: MIR

No último domingo (2), entramos na Festa das Luzes, um tempo de dedicação na presença do Senhor, celebrada no MIR anualmente, segundo a tradição hebraica. Neste ano, a festa inicia no dia 2 de dezembro, e encerra no dia 9, com um ato profético onde os apóstolos ungirão cada fiel, em sinal de consagração a Deus.

Hanuká significa consagração ou dedicação. É conhecida no meio judaico como Festa das Dedicações. É um acontecimento tão importante que, como a Bíblia relata em João 10, até Jesus participou dele. "E em Jerusalém havia a festa da dedicação, e era inverno. E Jesus andava passeando no templo, no alpendre de Salomão." (João 10:22,23). Essa passagem é a única passagem bíblica no Novo Testamento que se refere à referida festa. Não encontramos esta celebração no Antigo Testamento porque o fato que deu origem a esta festa ocorreu no ano 162 a.C.

Como surgiu Hanukah

o ano 160 aC, os gregos dominaram Jerusalém e profanaram o Templo. Apagaram a Menorá, consumiram o óleo sacerdotal (a Primeira Prensa do Getsemani), profanaram o Altar, sacrificando um porco e destruíram o lugar santo com profanações. Os Macabeus, família de Nobres e Sacerdotes, que se tornou uma dinastia poderosa, na pessoa de Judá Macabeus, levantou uma revolta, em nome da limpeza do Templo.

Nesse período, deram o nome dessa tomada de reinauguração do Templo, dedicação, limpeza, purificação. Quando o Templo estava tomado, foram acender a Menorá, mas não havia azeite para os sete dias, e não tinha como manter a Menorá acesa, pois o óleo sacerdotal só havia para um dia. Então, acenderam a Menorá e o resultado foi que o óleo para um dia ficou aceso oito, até chegar a nova prensa, e foi uma explosão de milagres. Israel recebeu nova credibilidade, a autoestima do povo explodiu de alegria, os rabinos recobraram sua fé, e começou o sinal do Milagre. Para agradecer a Deus e celebrar esse milagre, nasceu a Festa de Hanuká, comemorada até hoje, não apenas em Israel, mas em muitas nações da Terra. Esse Deus, que operou grandes feitos no passado, é o mesmo que realiza até hoje, através de Jesus, o nosso Salvador, maravilhas na vida daqueles que creem.

Detalhe de "A História do Hanukkah", de Ori Sherman. (Coleção Magnes de Arte Judaica, Universidade da Califórnia, Berkeley)

Hanuká não é uma das festas instituídas pela lei de Moisés, tais como Páscoa, Pentecostes ou Tabernáculos, as quais também foram celebradas por Jesus e pelos cristãos primitivos. Mas, é baseada em eventos importantes da história judaica previstas no livro de Daniel, e Jesus provavelmente observou a Festa das Luzes porque ela lembra a preservação da fé judaica e a santidade do templo em Jerusalém.

Nestes dias, devemos parar e dizer a Deus: "Muito obrigado pelos milagres da Salvação, por Yeshua ser nossa Menorá dos sete dias e ter a luz completa para todas as adversidades, por sermos independentes das garras do inimigo, e termos do Senhor o óleo sacerdotal para mantermos nossa Menorá acesa e ninguém apagar a luz que alumia a todos".

Dezembro é o mês de gerar milagres e de vermos as bênçãos de Deus reveladas na nossa vida. Chegou a hora de vermos Deus fazendo o maior milagre da história: salvando vidas através de nós. Nos próximos dias, muitos estarão contemplando o que Deus fez e o que Deus fará!

 

Você crê nesses milagres? Então, Feliz Festa! Hag Sameah! Feliz Hanuká!